OFERTA DO DIA

Sistema de Queima Q48 – 1 ano de resultados em 8 semanas – 12x sem juros

Aproveitar

Férias Final de Ano: Mochilão Bolívia e Peru

Melanie Mafli Saúde 37 comentários">37 comentários
Machu Picchu

Olá queridos! Final de ano todos saimos um pouco da rotina, e com razão pois todos merecem curtir as férias de uma forma diferente. Por isso também sairei da rotina aqui no blog hoje. Vamos compartilhar com vocês as férias de final de ano que passamos com mais um casal de amigos(Karin e Rodrigo), nossos destinos: Bolívia e Peru!

Primeiro queremos desejar a todos um Feliz 2014, que este ano seja repleto de realizações, sucesso saúde e muito amor! E agradecer por todos vocês que vem nos acompanhando e nos dando força.

Que este ano todos nós possamos alcançar um corpo desejável, uma mente sã e muita, mas muita saúde, que é o mais importante para se ter uma boa qualidade de vida.

Sair das férias não quer dizer relaxar de vez e não se importar mais com a saúde, nesta viagem conseguimos conciliar bem e continuar a praticar esportes como caminhadas e nos alimentarmos bem. Além de mergulhar na cultura Inca e estar ao redor de paisagens de tirar o fôlego.

Viagem Bolívia e Peru

1º Dia – La Paz

Chegamos na Bolíva – La Paz , nosso primeiro destino, no dia 21 de dezembro. Já era final de tarde e fomos direto pro hostel chamado Wild Rover, que por sinal era muito bom! Tem pessoas do mundo todo e por ser um hostel irlandês a decoração é toda do país, uma fofura.

Decidimos então dar uma volta pela cidade que é cheia de morros e visitamos algumas lojas. Tem uma rua que se chama Calle de las Brujas, onde há uma loja ao lado da outra, bem coloridas, vale a pena visitar. Jantamos antes de retornar.

Famosa rua de La Paz - Calle de las Brujas
Famosa rua de La Paz – Calle de las Brujas

Efeitos da Altitude:

As cidades que visitamos são todas muito mais altas que o nível do mar. La Paz é uma das mais altas que passamos a noite com 3.600m acima do nível do mar.

O aeroporto fica na cidade de El Alto que tem 4.000m acima do nível do mar. Por este motivo sentimos os efeitos da altitude.

Cada um sente de um jeito e tem pessoas que nem sentem nada. No meu caso senti muito enjôo, falta de apetite e tonturas. No primeiro dia tive uma leve dor de cabeça também. Já o Daniel não sentiu nada.

O que se percebe é uma falta de ar, durante um esforço físico. Várias caminhadas e passeios que fizemos tivemos que parar para poder controlar a respiração e continuar. Mas não precisa entrar em pânico, se for necessário em farmácias há oxigênio para serem utilizados e em alguns hotéis também.

Por este motivo mastigar a folha da coca ou tomar chá de coca é tão importante. Lembrando que ela não é uma droga e sim uma planta. Não tem perigo nenhum você usar ela para diminuir os sintomas. E é incrível como eles desaparecem meia hora depois do uso.

Outra medicação que pode ser encontrada nas cidades é o Soroche pills, recomendam tomar de 8 em 8 horas para aliviar os sintomas, eu também usei este remédio no segundo dia.

Chá de Coca - um santo remédio para os efeitos da altitude
Chá de Coca – um santo remédio para os efeitos da altitude

Enfim você não precisa ter medo dos sintomas, assim como eles vem eles vão e você irá aproveitar muito a viagem!

2º Dia – Chacaltaya e Valle de la Luna

Acordamos as 6:30 da manhã e nos preparamos para conhecer o Chacaltaya. É um pico da Cordilheira dos andes de 5421m de altitude. Considerada a mais alta estação de esqui do mundo. Ela está desativada pois o aquecimento global diminuiu a neve no local.

Fomos de van com um grupo de turistas e ao chegar na estação é preciso caminhar 150m para chegar ao pico. A sensação de estar lá é incrível. A respiração fica pesada e você sente uma paz enorme. Além das belas paisagens do local e do caminho percorrido para chegar lá. Como os lagos tóxicos coloridos.

Alguns lagos tóxicos no caminho do Chacaltaya
Alguns lagos tóxicos no caminho do Chacaltaya

Lá em cima eu e o Daniel resolvemos fazer um boneco de neve, não vou dizer que foi fácil pois a cada movimento a respiração ficava mais pesada e a tontura era forte. Mas conseguimos fazer um pequeno.

Boneco de Neve que fizemos no Chacaltaya.
Boneco de Neve que fizemos no Chacaltaya.

Algo interesante a saber é que a neve só existe no verão! Bizarro né?! Acontece que na Bolívia é época de chuva de dezembro a março e como o verão de lá em alguns lugares a temperatura é baixa, é quando neva. E no inverno mesmo sendo mais frio, não chove, por isso não neva.

Neste passeio também conhecemos uma paulistana chamada Syntia, ela que nos socorreu dando folha de coca na subida do Chacaltaya e acabamos fazendo o resto da viagem juntos. Obrigada pela companhia Syntia!

Assim que descemos o Chacaltaya fomos para o Valle de la Luna. Já bem mais quente e com tempo aberto. O lugar é incrível, a sensação de estar na lua ou em algum lugar diferente da Terra é eminente. O passeio neste local é de 40 minutos e a guia ia nos explicando cada ponto importante.

Visão Geral do Vale da Lua - La Paz
Visão Geral do Vale da Lua – La Paz
Mirante do Vale da Lua!
Mirante do Vale da Lua!

Já era final de tarde e não havíamos almoçado ainda, mas fomos socorridos por barrinhas de cereais. Chegando na praça principal de La Paz fomos jantar em um restaurante local, simples mas gostoso. Após o jantar fomos a um mercado local ( não encontramos supermercados e sim tendas nas ruas e uma feira enorme com várias opções de comida, bebida, eletrônicos, tudo que você imaginar).

Ali nada é refrigerado, a carne e os frios ficam expostos em cima das bancadas, algo que para nós é muito estranho. Ali compramos pão, presunto e queijo para fazer sanduíches pro passeio do dia seguinte. A noite retornamos para o Hostel e descansamos para o próximo dia.

3º Dia – Copacabana

Acordamos às 6:30h e pegamos um taxi que nos levou para o cemitério de La Paz. Local onde partem ônibus e vans para a cidade de Copacabana.

Copacabana fica no lago Titicaca, tem uma baía linda e romântica. Lá fica a imagem da Nossa Senhora de Copacabana, muito sagrada para eles. A viagem de ônibus levou 4 horas. Quando chegamos na cidade de Copacabana fomos direto para uma agência de turismo para comprarmos os passeios para o dia seguinte (Isla del Sol e Isla de la Luna).

Visão do Jardim do Hostel La Cupula para a Baia de Copacabana
Visão do Jardim do Hostel La Cupula para a Baia de Copacabana

Fomos até o nosso hostel La Cupula, que para mim foi o melhor de todos, quando se trata de beleza. Neste hostel tem uma vista de toda copacabana e sua baía. Aproveitamos para almoçarmos no restaurante do próprio hostel que tinha a melhor vista de todos.

Aproveitamos para pedir uma truta salmonada com salada de quinoa.

Salada de Quinoa tradicional da região
Salada de Quinoa tradicional da região

Após o almoço fomos conhecer um pouco da cidade, suas lojinhas coloridas e a Igreja principal. A noitinha queríamos ver o pôr do sol no morro da santa de Copacabana, para chegar lá é necessário fazer uma trilha morro acima por alguns minutos, mas infelizmente o tempo mudou e trouxe a chuva, trovoada na verdade. E não foi possível conhecermos o local.

A noite fizemos nosso próprio jantar, já que o hostel disponibilizava a cozinha para os hóspedes. Fizemos um macarrão com atum, para repor as energias.

4º Dia – Isla de la Luna e Isla del Sol

Mais um dia acordando bem cedo. O Barco que nos levou até as ilhas parte às 8h da manhã. Tem várias opções de barco, basta você decidir por um, comprar o passeio nas agências ou negociar diretamente no cais. No nosso caso o barco visitaria as duas ilhas (Sol e Lua).

O Lago Titicaca é o lago navegável mais alto do mundo, situado a 3.821 m acima do nível do mar. Navegar neste lago é surreal, primeiro porque aquilo não parece um lago, e sim um mar de tão grande que ele é. E segundo a água é cristalina, muito transparente formando cores em verde e azul.

Interação com os Nativos da Região durante o percurso.
Interação com os Nativos da Região durante o percurso.

A primeira ilha que visitamos foi a Isla de la Luna, ela é bem menor que a Isla del Sol. Mas é ali onde ficam algumas das ruinas dos Incas e onde ficava o templo das virgens do sol. Ali, mulheres aprendiam diversos ofícios, como a tecelagem e podiam chegar a ser esposa do Inca. Diz-se também que as mulheres poderiam ser usadas para sacrifício.

Esta ilha é um dos lugares que você sente a energia, uma energia boa. E fica imaginando como era na época em que elas viviam ali.

Templo das virgens do Sol! Será que elas eram mesmo sacrificada?!
Templo das virgens do Sol! Será que elas eram mesmo sacrificadas?!

Para chegarmos a Isla del Sol levamos mais uma hora e meia de navegação. Pudemos neste caminho avistar de longe a Cordilheira dos Andes e seus picos de neve.

Chegando a Isla del Sol fomos apresentados a um guia chamado Jorge, super gente fina. A ilha é enorme e tem várias praias lindas. Com certeza deu vontade de ficar mais dois dias para usufruir de toda a ilha e reabastecer as energias.

Nesta ilha fizemos uma trilha conhecendo vários pontos interessantes, como o cultivo da agricultura dos incas, a pedra energizante (que quando eu toquei não tive vontade de sair do lugar de tão bom que era a energia, ela te prende de alguma forma), a mesa sagrada e finalmente Chinkana conhecido como El Labirinto. Conhecemos apenas a parte Norte da ilha por falta de tempo, mas é super indicado para quem poder ficar mais dias.

Dani desembarcando na Isla del Sol - Lago Titicaca
Dani desembarcando na Isla del Sol – Lago Titicaca
Visão de tirar o fôlego no percurso da trilha da Isla del Sol.
Visão de tirar o fôlego no percurso da trilha da Isla del Sol.
Percurso que fizemos na Isla del Sol com uma pessoa local na imagem.
Percurso que fizemos na Isla del Sol com uma pessoa local na imagem.
Uma mesa de pedra criada para oferendas e sacrifícios aos deuses.
Uma mesa de pedra criada para oferendas e sacrifícios aos deuses.

De lá o barco nos levou as ilhas flutuantes onde serviram Trutas fresquinhas tiradas do lago na hora. Mas como levamos lanches não chegamos a experimentar o peixe. Já era final de tarde quando o barco retornou a Copacabana.

Tivemos que ir correndo pegar nossas malas pois pegamos um ônibus para Cusco- Peru, as 18:30h onde viajamos a noite inteira. Passando pela fronteira, fazendo migração e tudo mais.

Um pequeno detalhe é que era noite de natal. E passar a noite de natal no ônibus foi um pouco estranho pra mim. Mas no fim valeu a pena pois chegamos em Cusco, a cidade que pra mim é sagrada!

5º Dia – Cusco

Chegamos em Cusco as 5:30 da manhã. Pegamos um Táxi direto para o hostel Backpackers. Que eu super indico para quem quiser se hospedar em Cusco. Após tomar banho fomos conhecer a cidade, que lembra muito as cidades européias.

Ela tem 12 catedrais construidas pelos espanhóis. É uma cidade mística rodeada de ruinas dos Incas e é muito, mas muito energizante.

Fomos atrás dos passeios pelos sítios arqueológicos, um deles é composto pelo City Tour, que levam os turistas para algumas ruínas como Saqsaywaman,Tambomachay, Pukapukara e Qenqo. Para fazer este passeio é preciso comprar um bilhete turístico que custa 70,00 Peruanos por pessoa para o city tour ou se comprar o completo são 130 Peruanos. O boleto turístico completo inclui o vale sagrado dos incas e alguns museus.

Decidimos fazer este passeio, mas antes fomos almoçar em um restaurante bem aconchegante, onde comemos uma pizza integral.

Saqsaywaman é um grande Templo que surpreende com o tamanho das pedras e a forma que elas foram sobrepostas. Seria obra de força humana? Além de uma linda vista para a cidade de Cusco.

Eu e o Dani visitando Sacsayhuaman
Eu e o Dani visitando Sacsayhuaman
Fotografando com as Lhamas e Cholitas.
Fotografando com as Alpacas e Cholitas.

Tambomachay é um outro sítio arqueológico onde a água é sagrada. Já foram feitos vários estudos a fim de descobrir de onde vinha a água das fontes de Tambomachay mas até o momento ninguém descobriu a fonte de onde os Quechuas canalizaram a água. Encontraram várias possíveis nascentes e colocaram na água uma coloração que não chegou às fontes de Tambomachay. O mistério permanece.

Vista de Tambomachay no alto da colina
Vista de Tambomachay no alto da colina

Pukapukara Era um hotel Inca. Como nesta época os Incas viajavam muito e por longas distâncias, a cada 20km a 50km era necessário haver um local para se hospedarem.

Entrada de Pukapukara
Entrada de Pukapukara

Qenqo é o último sítios que visitamos neste dia. La existe um altar onde eram feitos sacrifícios com animais.

O passeio durou a tarde inteira e valeu a pena. O que aprendemos a respeito dos Incas e suas crenças foram de grande importância. E todos os lugares são de tirar o fôlego.

A noite fomos jantar em um dos restaurantes que tem na praça das armas. A opção de restaurante é imensa e tem até Starbucks.

6º Dia- Cusco e Águas calientes

Nesse dia aproveitamos a parte da manhã para conhecer um pouco mais da cidade de Cusco e fazer umas comprinhas.

Praça das Armas - Cusco
Praça das Armas – Cusco

Ao meio dia almoçamos no hostel e pegamos uma van que vai até a cidade de Ollantaytambo, onde fica a estação de Trem para chegar a Águas Calientes (última cidade antes de Machu Picchu).

O trem é turístico e tem várias opções de trens para você escolher fazer o passeio, cada um com um preço. Nossa opção foi o Vistadome – panorâmico. O trêm me surpreendeu. Novinho, e fomos super bem atendidos. Tivemos um excelente serviço de bordo com bebidas, sanduíches e frutas.

A visão que tínhamos dentro do trêm era simplesmente incrível, mesmo com o tempo nublado. Estar ali rodeados de montanhas e verde nos fizeram sentir super bem.

Em direção a águas calientes pela Peru Rail.
Em direção a águas calientes pela Peru Rail.

Ao chegar em Águas Calientes procuramos nosso hostel que era a mesma rede do Backpackers. E depois fomos jantar e andar pelas ruas da cidade.

7° Dia – Machu Pichu

O Grande dia!
Finalmente o ápce da viagem, conhecer Machu Pichu! Fazer a trilha inca seria muito mais a nossa cara mas não tinhamos 4 dias disponíveis pra isso. Portanto decidimos subir de ônibus e aproveitar o dia inteiro nesta cidade sagrada dos Incas.

Acordamos as 4:30h da manhã, pois o melhor horário é subir as 5:30h e desfrutar o dia inteiro. Chegando no lugar onde partem os ônibus a fila já estava enorme, vários turistas ansiosos para chegar ao tão esperado destino. Pegamos o 3º ônibus (sai um toda vez que enche um ônibus) e subimos uma estrada muito estreita.

Meu coração batia muito forte ao olhar pra baixo pois estávamos cada vez mais altos e a impressão que dava era que poderíamos cair do penhasco.

Chegando lá existe a entrada oficial onde todos precisam mostrar os bilhetes e se identificar.
Andano mais uns 50 metros, lá está, Machu Pichu.

Entrada em Machu Picchu.
Entrada em Machu Picchu.

Não tem com descrever o que sentimos quando olhamos para este lugar. Incrível, maravilhoso, é pouco para explicar o que passou por nossas cabeças. Você simplesmente para e pensa, “Meus Deus”!

O lugar é enorme, no início você na sabe nem por onde começar. Por que quer conhecer tudo e não deixar passar nem um detalhe. Mas como nós havíamos comprado entradas para subir na montanha Wayna Pikchu, fomos direto para este passeio.

São mais de 1h de subida íngreme, mas com uma estrutura bem bacana para turistas. Você precisa subir devagar pois o cansaço toma conta. Subíamos um pouco e olhávamos a paisagem. Conseguimos ver a cidade de Machu Pichu cada vez menor atrás de nós.

É recompensador chegar no topo! Nesta montanha também há ruínas dos Incas que pertence a Machu Pichu.

Começando a trilha wayna picchu!
Começando a trilha wayna picchu!
Curtindo o visual de Machu Picchu direto da montanha Wayna Picchu
Curtindo o visual de Machu Picchu direto da montanha Wayna Picchu

Lá em cima, você encontra a paz superior, o silêncio, o mistério da cidade Inca e sua imaginação vai longe. Na descida resolvemos desviar para seguir para uma trilha que chega num ligar chamado “a Grande Caverna” onde levamos mais 1h para chegamos no local.

É uma caverna Inca onde tem um altar, uma “poltrona” esculpida na pedra e outras pequenas paredes. Levamos mais 1 hora e 40 minutos para descer a montanha e chegar a cidade Inca novamente.

Paramos para fazer um lanche para depois seguir com uma guia para conhecer as ruínas. Os guias você consegue ali no local mesmo, a um preço bom. Nós pagamos 120,00 Peruanos em 5 pessoas. Tivemos sorte com o tempo, pois chove muito em Machu Pichu, e durante toda a manhã o tempo estava aberto.

A tarde quando fizemos o tour começou a chover forte. Mas você acha que alguém se importa com chuva nessa cidade sagrada? Caro que não. Nada ali tira seu bom humor e energia. Recomendo que sempre tenha com você uma capa de chuva, com certeza vai precisar.

Ao finalizarmos o tour seguimos até a ponte Inca que são mais 30 minutos de caminhada. Valeu a pena.

Ponte Inca!
Ponte Inca!

Às 16h pegamos o ônibus de volta para Águas Calientes e ficamos fazendo comprinhas até a hora do nosso trem partir de volta para Ollantaytambo. Chegamos bem tarde em Cusco e estava tudo fechado para jantarmos. Então nos restou pedir uma pizza no hostel.

8º Dia- Vale Sagrado

Neste dia fizemos o Vale Sagrado ao Redor de Cusco, que indico a todos pois é um passeio lindo. Já haviamos comprado o pacote deste passeio no primeiro dia em Cusco portanto não foi preciso comprar outro. Acordamos cedo de novo e pegamos o ônibus que nos levaria junto com demais turistas ao Vale Sagrado.

Nossa primeira parada foi em Pisaq, nele você consegue observar centenas de terraços agrícolas e o mais curioso é um cemitério Inca(um dos maiores), que são túmulos descobertos no topo da montanha. Eles enterravam os mortos em posição fetal pois acreditavam que deveriam morrer da mesma forma que nasceram.

Após esta visita o onibus seguiu para almoçar em um restaurante de comida típica Peruana, infelizmente eu e o Daniel não almoçamos no local, pois havíamos preparado lanches para o passeio e queríamos explorar a cidade de Urubamba.

Logo depois do almoço o ônibus seguiu para Ollantaytambo. É onde se encontra o templo do Sol. Também com muitas terraças agrícolas, mas para fins medicinais de um lado e do outro para alimentação. Estas ruínas são rodeadas de montanhas, e em uma delas encontramos dois rostos que dizem ser do rei Inca e do Deus Uiracocha. E fomos até a pedra onde o sol batia e podiam entender que hora do dia estavam.

Se prepare para visitar este local do vale sagrado pois ele é bastante alto e a escadaria é enorme.

Imagem do Deus Wiracocha na montanha em frente ao Ollantaytambo.
Imagem do Deus Wiracocha na montanha em frente ao Ollantaytambo.
Quem consegue ver o Inca de Perfil?
Quem consegue ver o Inca de Perfil?

Nosso próximo destino, Chinchero, uma simpática cidade têxtil que também está rodeada por ruínas Incas. Primeiro fomos visitar uma igreja barroca de Chinchero que foi construída sobre uma construção Inca e preserva algumas pedras da época. Não era permitido tirar fotos dentro dela mas a arte era incrível.

Sentindo a energia de Chinchero!
Sentindo a energia de Chinchero!

Logo depois da visita a Igreja fomos até um local em Chinchero que mostrava aos turistas como produziam a lã de alpaca e de ovelha. O processo é bem interessante e elas usam um toque de humor para nos explicar. Além de se vestirem com roupa típica e serem muito atenciosas.

Aula sobre como são produzidos os tecidos da região.
Aula sobre como são produzidos os tecidos da região.

Chegou ao final nosso passeio pelo Vale Sagrado e retornamos para Cusco. Onde deu tempo apenas de pegar nossas malas e ir para a rodoviária pegar o ônibus internacional de volta para La Paz. Também nos despedimos da nossa querida companheira de viagem Syntia que seguiu viagem para outro destino.

9° Dia- Copacabana e La Paz

Chegamos em La Paz as 17 horas da tarde. Fomos direto para o hostel que ficamos no início da viagem. Estávamos muito cansados devido a noite mal dormida e resolvemos aproveitar o hostel. Jantamos lá mesmo e fomos a festa no bar (todos os dias tinha festa no bar do hostel).

10º Dia- Tiwuanaku e Puma Punku

Nosso último dia oficial na Bolívia. Resolvemos fazer o passeio no Tiwuanaku e Puma Punko. Nossa van saiu as 9 horas da manhã em direção a Tiwuanaku. Lá visitamos os dois museums Incas e fomos ao sítio arqueológico Tiwuanaku. Onde se encontra o portal do sol. Lindo!!

Esta é a Famosa Puerta del Sol em Puma Punku.
Esta é a Famosa Puerta del Sol em Tiwanaku.

De lá fomos almoçar num restaurante local mas com comida muito saborosa. Onde almoçei truta grelhada com salada e uma sopa de quinoa. E o Daniel escolheu Carne de gado com a mesma sopa.

Nosso último passeio foi Puma Punku. Onde existem as pedras com geometrias cortadas de forma impecável.

Este H lembra o H do History Channel - em Puma Punku
Este H lembra o H do History Channel – em Puma Punku

Voltamos do passeio e fomos direto as compras das últimas lembrancinhas e jantamos em um restaurante delicioso com direito a vinho Boliviano.

11º Dia- o Retorno

Dia de voltar pra casa. Nosso vôo saiu cedinho 6:50h e chegamos em nosso destino final, Navegantes as 22h, do dia 31 de dezembro. Podendo assim ainda usufruir da virada do ano com nossos amigos e familiares.

Que viagem gente!
Com certeza vai ficar pra lembrança pra sempre e as companhias foram perfeitas!

Conclusão

Você faz as férias do seu jeito, não esqueca de quem você é! Escolhas saudáveis são ótimas formas de não se arrepender depois.

Bom início de ano a todos!

Saúde Tags: , ,

Leia também:

    Quer emagrecer? Deixe seus dados e receba periodicamente nossas dicas de dieta e estilo de vida saudável!

    • http://viagensdicas.com Patrícia Darugna

      Adorei o post Mel! Que viagem linda! Ótimo relato, me fez ter muita vontade de conhecer todos eles lugares maravilhosos e as fotos estão incríveis!

      Beijos,

      Paty

      • https://plus.google.com/114981710314033100840/ Melanie Mafli

        Olá Patrícia! Obrigada pelo elogio. Espero que um dia vocês possam conhecer o lugar também, porque é realmente lindo e a energia é incrível. Beijos!

    • Carlos

      Very nice !

      • https://plus.google.com/114981710314033100840/ Melanie Mafli

        Thank you Carlos!

    • Léo

      Olá! Sei que talvez este não seja o foco do post, muito menos do Blog, mas vou perguntar, uma vez que seu post está melhor que muito blog de viagens e mochilões por aí!
      Gastaram muito? :)

      Parabéns pelo post,
      Abraço, Leo!

      • https://plus.google.com/114981710314033100840/ Melanie Mafli

        Olá Leo, obrigada pelo elogio! Sempre temos muito a aprender e nosso foco era realmente mostrar aos leitores um pouco de nossas férias e nossa rotina.
        Com certeza amamos o lugar e vai ficar pra sempre na memória!
        Abraços, Mel!

    • Ana Paula

      Parabéns pelo relato, realmente dá uma vontade enorme de conhecer toda essa história!! Mas, é preciso ter pique né…rsrsrsrsrs… Sabe que ali no Costão do Santinho também tem umas pedras com perfis de pessoas e uma poltrona esculpida na pedra virada para o por-do-sol, bem bonito também!! Bjssss pros dois!!! 😉

      • https://plus.google.com/114981710314033100840/ Melanie Mafli

        Olá Paula, obrigada pelo elogio! No Costão do Santinho já ouvi falar que tem coisas bem interessantes. Vale a pena explorar! Beijos e bom final de semana ;*

        • Madi

          Oii Mary! Tudo beem? Noossaaa, 5 hrs? Eu achei que terminando o hore1rio de vere3o diinmuiria 1 hr no fuso! Normalmente se3o quantas hrs de diferene7a, sem os hore1rios de vere3o? Estarei aed em junho, nessa e9poca como fica o fuso? Nossa Deus, como eu vou falar com a minha me3e!?! hahahahahaha Vou ter que virar uma coruja! rs BeeeeijO

    • Michelle Mafli

      Muito legal esse post Mel!!! Fotos lindas, estou encantada com este lugar! Muito lindo e super dicas para fazer uma viagem igual!

      Aguardo um post e dicas para todos aqueles, que como eu, são estudantes e trabalham o dia todo e todos os dias da semana. Como podemos conciliar essa rotina pesada (comendo fora o dia inteiro), mais uma vida saudável com exercícios.

      Beijão!

      • https://plus.google.com/114981710314033100840/ Melanie Mafli

        Obrigada Michelle!
        Fico feliz que você gostou. E espero que na próxima viagem você vá junto! Obrigada pela dica, vou ver o que podemos escrever sobre este assunto e ver uma forma para não haver mais desculpas!
        Beijos ;*

    • Eliana Vargas

      Olá, amei! Estou me organizando para fazer essa viagem em julho desse ano.Você pode me ajudar informando quantos mais ou menos gastaria se for fazer esse passeio. Vou sair de Corumbá MS, atravessar a fronteira com a Bolívia e pegar o term e de La Paz pegar o voo até Peru. Sou de Ponta Porã, MS. Abraços

    • Eliana Vargas

      Olá, amei! Estou me organizando para fazer essa viagem em julho desse ano.Você pode me ajudar informando quantos mais ou menos gastaria se for fazer esse passeio. Vou sair de Corumbá MS, atravessar a fronteira com a Bolívia e pegar o trem e de La Paz pegar o voo até Peru. Sou de Ponta Porã, MS. Abraços

      • https://plus.google.com/114981710314033100840/ Melanie Mafli

        Olá Eliana, que bom que você se identificou com o post! Com certeza você irá amar a viagem, pois o destino é incrível. Infelizmente não tenho como te passar quanto você gastaria nesta viagem pois nossa trip foi diferente. Saímos de Navegantes- SC e fomos de avião para Santa Cruz de La Sierra- Bolívia. Fomos de La Paz para o Peru via terrestre, o que torna a viagem um pouco mais barata.
        Mas posso te adiantar que é uma viagem com custos baixos! Os transportes, alimentação e hospedagem são preços bem acessíveis, principalmente se você se hospedar em Hostel. Com certeza uma viagem que vale a pena!
        Obrigada por nos acompanhar e boa viagem!

        • Nego

          “Closer”, um miminho de te3o boa! Mas ne3o e9 a fanica! “Use Somebody” (a que mais sscuseo faz por ce1), “Crawl”, “Manhattan”, “Sex on Fire”.Resumindo, KOL se3o muito boa onda :)

    • Amanda

      OI!! ADOREI seu post!!! É exatamente o que eu estava procurando!!! Uma viagem rapida para Bolivia e Peru! Muito obrigada mesmo!!! Mas eu nao sei se li muito rapido.. quanto mais ou menos voces gastaram? hehe desculpa a pergunta, mas eu precisava me programar melhor ! Obirgada!

      • https://plus.google.com/114981710314033100840/ Melanie Mafli

        Olá Amanda, obrigada por nos acompanhar! Realmente estes destinos são maravilhosos e tenho certeza que você vai curtir muito a viagem.
        O custo vai depender dos destinos e de quantos dias você irá ficar. Mas levando em conta a nossa viagem, foi um valor mais baixo do que o esperado.
        Posso dizer que deu uma média de 3 mil reais por pessoa. O transporte e a comida são muito baratas e a hospedagem também, se você optar por hostel. Desejo uma ótima trip! Abraços.

    • André

      Nossa que incrivel!! Estou planejando exatamente a mesma viajem final do ano com mais 2 amigos, e seu post foi a minha bússola! Além de me empolgar mais ainda! 😀
      Não querendo ser indelicado mas ja sendo… vocês fizeram essa viagem por alguma agencia? E você se importaria de disponibilizar alguma informação superficial sobre orçamento?
      obrigado

      • https://plus.google.com/114981710314033100840/ Melanie Mafli

        Olá André, ficamos muito felizes em poder ajudar! Essa com certeza foi uma viagem para ficar na memória, as paisagens são incríveis.
        Respondendo sua pergunta, não usamos agência de viagens, foi tudo organizado por nós. Gostamos muito de nos envolver com a viagem antes, a fase de preparação, de pesquisas para escolher as melhores opções possíveis. E fica a dica, é muito bom essa preparação pré viagem pois faz parecer que a viagem é mais longa.
        Sobre o orçamento, gastamos em média 3 mil por pessoa, mas isso vai depender das compras, local que se hospedará, tempo de viagem, entre outros custos.
        Desejamos uma ótima viagem pra vocês e aproveitem! Abraços

    • Júlia

      Tudo que eu procurei por dias! Adorei seu post! É exatamente o que pretendo fazer, com poucas exceções! Obrigada!

      • https://plus.google.com/114981710314033100840/ Melanie Mafli

        Obrigada Júlia! Fico feliz em poder ajudar. Aproveite sua viagem e me conte depois como foi! Beijos

    • cecilia

      ola! estou pensando em fazer essa viagem em janeiro. vi que voce fez a sua no fim de ano, mas precisamente que mes? estao me falando que em janeiro por ser muito verao, ocorrem muitas chuvas fortes! voce pegou tais chuvas? se sim, atrapalharam alguma coisa?? desde ja muito obrigada pela atencao!!

      • https://plus.google.com/114981710314033100840/ Melanie Mafli

        Olá Cecilia! Nossa viagem foi final de ano (dezembro), entre o natal e o ano novo. É verdade que é época de chuvas, porém tivemos sorte e não pegamos muita chuva. Uma coisa incrível que ocorre é que neva no verão. Como lá é muito frio e a temporada de chuva é no verão, a chuva vira neve. Então no alto das montanhas você poderá avistar a neve.
        Chuva sempre pode atrapalhar, mas férias são férias, devem ser aproveitadas ao máximo, faça chuva ou sol. Não se preocupe com isso, pois você terá dias incríveis neste lugar!
        Abraços Melanie

    • Tayanne Akemi

      Olaa,estou lendo seu post so agora hehe e acheii maravilhosoo
      Viajo dia 27/12/14 e meu roteiro e mto semelhante com o seu 😉
      Queria saber qual tipo de roupa voce levou, mais roupas de frio? eh realmente importante ir de boot? Nesses passeios tem lugar onde guardar a mochila ou voce carregava sempre?

      Muitas duviiidas, nunca viajei assim de mochilaa =)

      Obrigadaaa.

      • https://plus.google.com/114981710314033100840/ Melanie Mafli

        Olá Tayanne, que bom que este post ajudou!
        A viagem é incrível e você vai adorar. A princípio levei mais roupa de frio. Um casaco mais grosso, leggings pois acho mais confortável, camisetas básicas, chales, e um shorts que acabei usando também em Copacabana e Machu Pichu. Leve pouca coisa já que vais ter que carregar sua própria mochila.
        o Boot me ajudou bastante, mas não tem problema em usar um tênis normal ou uma bota baixa. Depende mais do seu gosto. A nossa mochila ficava sempre no Hostel que nos hospedávamos, todos eles tem um armário no quarto onde você pode guardar suas coisas. Porém leve um locker para trancar suas coisas pois o hostel não disponibiliza.

        Foi minha primeira viagem de mochila e gostei bastante! Desejo uma ótima viagem e depois nos conte como foi. Beijos

    • Davison

      Olá Melanie,

      Ótima viagem, parabéns! Vou me espelhar nela para a minha agora no próximo mês.
      Uma pergunta, você esteve na Bolívia mas não passou por Cochabamba, algum motivo em especial?

      Abraço. Davison Brito

      • https://plus.google.com/114981710314033100840/ Melanie Mafli

        Ólá Davison, que bom que você gostou da nossa viagem.Tenho certeza que a sua será ótima também.
        Não passamos por Cochabamba por falta de tempo. Como ficamos apenas 10 dias tivemos que priorizar. Mas com certeza quero voltar e visitar lugares que não pude ir e repetir outros. Boa viagem! Abraços

    • Jéssica

      Boa tarde, Melanie.
      Meu namorado e eu compramos passagens aéreas para Cusco e pretendemos dar uma passada pela Bolívia. Seu roteiro ajudou muito, faremos poucas alterações. Teremos 11 dias disponíveis. Você achou muito pouco tempo pra conhecer tudo o que relatou? Na Bolívia, hoje você faria algum passeio diferente ao invés dos que fez? Tô ansiosaaa!
      Abraços.

      • https://plus.google.com/114981710314033100840/ Melanie Mafli

        Olá Jéssica! Vocês irão amar a viagem, a energia destes lugares é incrível.
        Ficamos apenas 10 dias, foi bastante corrido mas deu para aproveitar bastante. Acredito que em 11 dias vai dar para fazer bastante coisa também, e o mais importante é viver o máximo e melhor que pode, independente do tempo.
        Claro, se eu pudesse sempre ficaria um pouco a mais em todos os lugares que viajo, mas acredito que intensidade que vivemos o momento é o mais importante e que faz a viagem valer a pena ou não.
        Tudo que eu fiz e conheci, não faria diferente. E com certeza iremos voltar para conhecer outros lugares e repetir alguns que já fomos.
        Boa viagem e depois nos contem como foi. Beijos

        • Jéssica

          Obrigada! Tenho certeza que será inesquecível. Vi algumas pessoas falando que o Valle de la Luna não tem nada demais, então queria saber a sua percepção sobre este lugar e os demais, pois, como teremos pouco tempo, gostaríamos de errar o mínimo possível. Seria melhor se hospedar em Copacabana, ao invés de La Paz? Tem alguma dica de passeio que vocês não tenham feito?
          Beijo.

          • https://plus.google.com/114981710314033100840/ Melanie Mafli

            Oi Jéssica! O Valle de la Luna, é único. Realmente não tem muito o que fazer lá. Porém é algo diferente. Você chega, paga a entrada do passeio e faz uma pequena trilha pelo Vale… eu particularmente gostei muito, pois tudo que é diferente nos instiga de alguma forma. E achei que valeu a pena sim. Mas isso vai de cada um, gostar ou não. Eu apenas penso que se você está lá, por que não ver?! 😉
            Sobre a hospedagem. Las Paz e Copacabana fica longe um do outro. Portanto se você quiser ir no Vale da Lua e Chalcantaia, e ver a cidade de La paz, precisa dormir uma noite nesta cidade. Copacabana é linda e vale a pena se você visitar as ilhas do Sol e da Lua (passeio de barco). Nós dormimos em La Paz por duas noites e seguimos para Copacabana com ônibus local.

            Boa viagem e espero ter ajudado! Abraços Mel

    • Celina

      Olá Melanie! Adorei seu relato, vou fazer Peru e Bolívia e peguei várias dicas suas, obrigada!!! :). Umas perguntas: você lembra e empresa que fez a viagem Cusco-La Paz? Teve que parar em Puno e trocar de ônibus? Ele passa por Copacabana?
      Obrigada!

      • https://plus.google.com/114981710314033100840/ Melanie Mafli

        Ola Celina, que legal! Essa viagem foi incrível mesmo!!
        Eu lembro que tivemos que trocar de ônibus em Puno sim, porém existem outras linhas, é bom dar uma pesquisada antes. Esta empresa passa por Copacabana sim, inclusive a gente aproveitou e ficou lá. Boa viagem!

    • marcos lima

      E aí, Melanie, tudo jóia?

      Eu pretendo fazer uma viagem parecida com a sua, inclusive nessa mesma época, mas a questão das chuvas me desanimou muito. Queria muito saber como foi isso pra vcs. Choveu muito? Tempo nublado, cinza, e a própria chuva não broxa e tira um pouco da beleza e da magia dos lugares? No Titicaca me pareceu ser um dia de Sol..Rolava de tomar um banho no lago, por exemplo?

      Me ajuda aí nessa questão! hahaha

      Estou realmente muito em dúvida sobre ir nessa época.

      Vlw! (:

      • https://plus.google.com/114981710314033100840/ Melanie Mafli

        Ola Marcos, tudo certo sim :)

        Olha, essa época infelizmente é uma época de chuva. Mas o tempo pode te surpreender, como no nosso caso. Tivemos poucos dias de chuvas. Levamos capa de chuva e tudo mais com medo que seriam todos os dias chuvosos, mas acabamos usando apenas por 20 minutos em Machu Pichu e 10 minutos em Copacabana. Então vá preparado mas deixe se surpreender pela natureza. As paisagens são lindas de qualquer forma. Claro que o sol sempre da uma magia a mais, porem nessa época de chuva é onde tambem neva nas montanhas. O que foi muito legal!

        Estava quente e com sol no dia que fomos a ilha, porem tomar banho a gente não se arriscou pois a água é gelada. Mas quem é guerreiro e gosta , tem que se jogar :)

        Desejo uma otima viagem. Beijos Mel

    • Valeria Souza Rosa

      Adorei seu roteiro! Só fiquei com uma dúvida. Você fez as reservas no hostel antecipadas, ou deixou para ver na hora?
      Obrigada.

      • https://plus.google.com/114981710314033100840/ Melanie Mafli

        Ola Valeria, obrigada! Nos reservamos tudo com antecedência. Pois ficamos com medo de não ter mais vaga. Sempre preferimos nos programar antes. Mas isso é de cada pessoa. Beijos

    Receba em seu e-mail dicas sobre emagrecimento e estilo de vida saudável...