OFERTA DO DIA

Sistema de Queima Q48 – 1 ano de resultados em 8 semanas – 12x sem juros

Aproveitar

Cérebro – O Viciado Em Estimulantes

Tiago Soares Emagrecimento, Saúde 0 comentários">0 comentários
is-spermhigh-on-protein_1

Acredito que a maioria de nós pelo menos alguma vez na vida já recorreu à comida para se sentir menos stressado/a.

Até aqui nada de mal, mas o que acontece na maioria destas situações é que nós acabamos por comer demasiado, e começamos a fazê-lo mais vezes do que realmente deviamos.

É aí que entra o sentimento de culpa que nos faz arruinar a nossa dieta ainda mais.

Mas então porque é que quando o nosso corpo está sobre stress nos faz comer mais do que o que devemos e queremos?

Um estudo publicado no British Journal of Clinical Psychology demonstra que as mulheres comem mais chocolate quando se sentem ansiosas ou depressivas a fim de melhorarem o seu humor. O que foi demonstrado nesse estudo é que a mudança de humor que ocorre é de a passagem de um estado de stress para um estado de culpa e frustração.

Quando estamos sobre stress qualquer tentação que tenhamos só irá ganhar força. O que acontece durante esses momentos é que o nosso corpo está simplesmente à procura de uma maneira de sair desse estado. Para isso obriga-nos a pensar nos ‘estimulantes’ que costumamos consumir e que ele sabe que nos irá dar um desejo de prazer. Nesta ocasião, qualquer substância ou atividade que nos faça sentir melhor ou que nos iluda à promessa de recompensa será um bom amigo do cérebro.

Para uns será fumar um cigarro ou beber álcool, para outros será apostar na lotaria ou ir ao casino. Noutros casos é comer o sorvete ou pizza que tanto negamos. Pode também ser sexo ou drogas.

O que é não importa.

O que tem de fazer ao nosso corpo é dar-nos pelo menos uma sensação de prazer rápido. Por vezes até chegamos a comer coisas das quais não gostamos muito só porque imaginamos que comer aquilo nos irá fazer bem. Pelo menos, isso foi o que um grupo de investigadores descobriu.

Eis o que se passou no estudo:

Um grupo de investigadores convidou algumas pessoas a descreverem o quão apetitoso era um bolo de chocolate que lá tinham para amostra. Em geral o bolo foi descrito como bom, mas houveram participantes que não gostavam de bolo de chocolate, o que fez com que considerassem o bolo como não sendo nada apetitoso.

Depois de descreverem o que acharam do bolo os participantes do estudo fizeram uns exercícios que tinha o propósito de os fazer sentir mal acerca dos seus falhanços pessoais.

Depois disso, foi-lhes pedido que descrevessem o bolo de chocolate novamente.

Consegues adivinhar o que aconteceu?

Desta vez os participantes descreveram o bolo como sendo ainda mais apetitoso do que antes. Mas lembram-se daquelas pessoas que disseram que não gostavam de bolo de chocolate? Pois bem, os resultados surpreenderam até os condutores do estudo. As pessoas que inicialmente disseram que não gostavam de todo de bolo de chocolate estavam agora na expetativa de que comer o bolo os fizessem sentir melhor.

Fascinante ver como a promessa de recompensa combinada com a promessa de alívio pode levar-nos a todo o tipo de comportamento irracional.

Isto não é nada bom, especialmente quando nos sentimos mais em baixo e stressados. É aí que nós procuramos comer mais (ou um dos outros estimulantes) para nos sentir melhor.

Sabendo isso, o que podemos nós fazer para comer menos quando nos sentimos stressados?

Segundo a American Psychological Association os métodos mais eficazes para aliviar o stress são fazer exercício físico ou praticar desporto; rezar ou ir a um local religioso; ler; ouvir música; passar tempo com os amigos ou família;  receber uma massagem; dar um passeio; meditar ou fazer yoga; ou então passar tempo num hobby criativo.

Sexo não constava na lista, mas segundo pesquisas que fiz, podemos adicionar o sexo à lista (bom saber, bom saber…).

Por outro lado, os métodos menos efetivos passam por fazer apostas, compras, fumar, beber álcool e refrigerantes, comer, jogar videojogos, navegar pela internet e ver televisão ou filmes por mais de duas horas.

Ok, já sabemos que atividades devemos fazer que nos levam a comer menos quando estamos stressados, mas o que é que se passa no nosso cerébro para isso acontecer?

Ainda bem que perguntas!

O que ocorre no nosso cérebro entre as atividades que demonstram ser mais efetivas comparadas às atividades menos efetivas é que as atividades menos efetivas libertam dopamina mas não recompensam o cérebro de forma efetiva (apenas lhe dá a ilusão de que o irá fazer sentir melhor) enquanto que as atividades que funcionam libertam as ‘verdadeiras’ hormonas nos deixam menos stressado: serotonina, GABA (neurotransmissor inibidor do sistema nervoso central) e oxitocina – a hormona que nos faz sentir bem.  Como estas 3 hormonas não são tão excitantes como os libertadores de dopamina, tendemos a sobrestimar o quão bem elas nos vão fazer sentir.

O que acaba por acontecer é que nos esquecemos de que estas táticas são realmente eficazes, isto porque quando estamos stressados, o nosso cérebro, persistentemente, interpreta erroneamente aquilo que realmente nos irá fazer sentir mais felizes.

Portanto da próxima vez que estiveres stressado e a pensar em comer aquelas fatias de bolo no frigorifico, fumar um ou dois cigarros ou beber uma cerveja, considera recorrer a algo que irá realmente fazer com que te sintas melhor a longo prazo e que não te dê apenas essa sensação.

Como bónus por teres chegado até esta parte do artigo, vou revelar-te algo que faço com os meus clientes que lutam por perder ou manter o peso desejado por frequentemente comerem demasiado.

Exercício para te ajudar a resistir às tentações

Um dia quando deres por ti a comer um bolo, gelado ou a beber alcóol por te sentires stressado, grava no teu celular uma mensagem de voz ou uma nota onde expressas como te sentes depois de o teres feito. Guarda essas mensagens e uns dias mais tarde volta a ouvi-las ou lê-las.

Nos dias em que consigas resistir à tentação dessas (maus) comportamentos, e que os substitutas por uma das atividades mencionadas em cima (ex: encontrar-te com um amigo, ir dar um passeio, praticar desporto) faz o mesmo – grava no teu celular como te sentes depois disso.

Porque é que vocês vão estar a fazer isto?

A razão é simples: numa próxima vez que se sintam stressados e com vontade de fazer algo que vos promete apenas a sensação de satisfação, mas que não vos deixará menos stressados e felizes, recorram às mensagens que gravaram para se lembrarem do quão bem se sentiram quando foram correr em comparação a quando foram para a cozinha comer tudo o que viram à vossa frente.

Este tipo de exercício irá ajudar-te a descobrir quais são os gatilhos que fazem com que tu acabes por entrar em comportamentos destrutivos, ajuda a diminuir o stress que tens no momento (a luta interna entre ir comer ou não ir comer) e irá ajudar-te a compreender que outros comportamentos podes tu criar invés de recorreres à comida para te fazer sentir bem.

Deixando de lado toda a ciência que pode provar a eficácia disso, posso dizer-te que é algo bastante eficaz para muito dos meus clientes. Não imaginas o quanto podes vir a aprender acerca dos teus comportamentos e o que os faz despoletar. Mas não confies na minha palavra, testa por ti e vê os resultados.


P.S.: De momento não estou muito ativo no meu canal em Português porque estou a dedicar-me mais ao canal de YouTube em Inglês. Caso te dês bem com o inglês sugiro seguires o meu canal, pois nele irei colocar imenso conteúdo que te pode ser útil. Aqui fica o link: Canal de YouTube em Inglês
Caso não te dês bem com essa língua estrangeira, podes sempre contribuir para que eu continue a escrever mais artigos clicando no like da minha página do Facebook. Aqui fica o link: Página de Facebook Tiago Soares Fitness

Emagrecimento, Saúde Tags: , , , , , , ,

Quer emagrecer? Deixe seus dados e receba periodicamente nossas dicas de dieta e estilo de vida saudável!

Receba em seu e-mail dicas sobre emagrecimento e estilo de vida saudável...